Como ser uma boa mãe solteira: 9 dicas para acertar na criação dos filhos


como-ser-uma-boa-mae-solteira

Descobrir como ser uma boa mãe solteira é um grande benefício para as mulheres que precisam chefiar a família. Afinal, segundo dados de 2019, o Brasil já possui 28,9 milhões de famílias onde as mães são integralmente responsáveis nesse sentido.

E o desafio de ser uma mãe solo pode acontecer por vários motivos. Divórcio, morte do parceiro ou, simplesmente, negligência na participação ativa da criação de uma criança fazem parte da dura rotina dessas mães.

Dessa forma, é preciso aprender como superar os obstáculos da criação dos filhos e filhas para que eles possam ter um bom futuro pela frente. Então, separamos 9 dicas de como ser uma boa mãe solteira e ter sucesso nesse objetivo de cuidar sozinha das crianças.

1. Tente manter a tranquilidade

Por mais que seja difícil, a primeira dica de como ser uma boa mãe solteira está em tentar manter a tranquilidade e o equilíbrio emocional. É claro que os desafios farão parte da rotina e nem sempre será possível criar as crianças da melhor forma possível.

No entanto, o foco deve ser sempre em utilizar a energia de modo positivo, tirando os fatos que só atrapalham a condição — a ausência paterna, nesse caso — para dar os elementos necessários ao desenvolvimento infantil.

Leia também: Descubra como reduzir ansiedade em 14 passos práticos

2. Evite a solidão

Mães solo não precisam ser solitárias. Mesmo com a ausência paterna, é importante ter uma rede de apoio e dividir os momentos e desafios da criação de filhos e filhas. Dessa forma, você — como mãe — terá mais condições de atender as necessidades infantis.

Assim, é sempre importante estar próxima da família, de amigos e do ambiente escolar. Isso vai evitar que a solidão seja uma realidade na sua maternidade e, como consequência, ela seja melhor em todos os sentidos possíveis.

3. Se possível, contrate uma babá

Sabemos que não é fácil, mas ainda assim é importante fazer essa recomendação para mães que buscam como ser uma boa mãe solteira. Se for possível, o apoio de uma babá para ajudar nas rotinas infantis é de extrema importância.

Além de ajudar a cuidar das crianças, enquanto outras tarefas precisam ser feitas, uma babá também pode servir como alguém para compartilhar conversas e deixar a solidão de lado — como falamos no tópico anterior.

4. Permita que a criação de vínculos com outros homens da sua vida

Por falar em compartilhar conversas, é importante que as crianças criem vínculos com outros homens da sua vida. Pais, tios e avós podem exercer um papel fundamental nessa hora, tendo um efeito paterno importante para o desenvolvimento infantil.

Mesmo que não sejam pais biológicos, muitos tios e avós conseguem dar o mesmo carinho e afeto que as crianças precisam. Além disso, os ensinamentos vindos de uma figura masculina são importantes para qualquer criança.

5. Se o pai estiver próximo, faça as crianças criarem laços

Aprender como ser uma boa mãe solteira não é um processo fácil, mas é extremamente possível. Nesse caso, para os pais divorciados, a presença da figura masculina é importante, caso a relação do pai e da mãe sejam saudáveis.

Existem pais que mesmo após a separação se tornam bons amigos. Apesar do casamento não ter dado certo, a amizade continua e a vontade de dar uma boa criação para a criança continua. Então, se for possível, faça com que a paternidade possa ser exercida pelo ex-companheiro.

6. Tire as dúvidas que surgirem

Em algum momento da criação, as dúvidas dos pequenos podem começar a ser recorrentes e uma boa saída é ser transparente. Responder às questões com jeitinho, mas sem omitir a verdade da criança faz parte do processo de como ser uma boa mãe solteira.

Se o casamento acabou por uma questão de divórcio, a criança precisa saber. Se o pai nunca esteve presente, a criança também precisa saber. É com essas informações que ela molda seu caráter e aprende mais sobre o mundo.

7. Deixe que terceiros saibam sobre a situação

Da mesma forma que a transparência com as crianças precisa acontecer, é importante deixar que terceiros — como escola, cursos ou para quem importar — que você é uma mãe solo e cria os filhos sem uma presença masculina.

Isso vai ajudar em muitas situações, principalmente aquelas que envolvem o assunto de paternidade — como homenagens ao dia dos pais nas escolas. Assim, a criança não precisa se sentir deslocada e pode apostar em outra figura masculina, se possível, como um representante nesse sentido.

8. Cuide da sua independência

Outro ponto importante nas etapas de aprendizado de como ser uma boa mãe solteira envolvem o cuidado com a sua própria independência. Cuidar dos filhos é importante, assim como preservar a própria saúde mental e física também são.

Portanto, tire um tempo para si mesma, na medida do possível, apostando na rede de apoio de familiares e amigos. Aproveite para ter suas amizades, sair, ter seus programas pessoais e viver uma vida que vai muito além da maternidade solo.

9. Como ser uma boa mãe solteira? Procure ajuda profissional!

Por último, a ajuda profissional é sempre bem-vinda no processo de como ser uma boa mãe solteira. A terapia, por exemplo, certamente vai ajudar bastante a aceitar a situação e também resolver alguns problemas originados pela condição de mãe solteira.

A baixa autoestima, por exemplo, pode ser uma realidade no seu caso. E, apesar de ser normal, ela precisa ser combatida, para que o problema não se agrave e você se anule pela situação de maternidade solo.

Portanto, psicólogos e terapeutas são essenciais para dar a assistência especial que você merece. E pode ter certeza que estando bem, a sua capacidade de enfrentar as adversidades na criação das crianças será bem maior.

Sobre a OnDoctor

A OnDoctor é uma plataforma de Telemedicina que disponibiliza orientações de saúde por videoconferência. Nossa missão é conectar os melhores profissionais da saúde com pacientes de qualquer lugar do Brasil com segurança e qualidade.