Como a telemedicina pode ajudar ao combate ao Coronavírus (COVID-19)


Em 28 de março de 2020 • CoronavirusArrayTelemedicina • Tags:

A atual pandemia do Coronavírus (COVID – 19) é responsável por gerar um cenário de insegurança generalizada.

Médicos, pacientes e o público em geral ainda não sabem quais serão as consequências do surto e tampouco qual a maneira mais eficiente de combatê-lo.

Neste cenário, um dos problemas mais comuns é a dificuldade em acesso ao médico para obter um diagnóstico preciso.

Devido à situação de quarentena e ao isolamento recomendado pelo Ministério da Saúde, está mais difícil realizar consultas presenciais.

Porém, em meio ao caos, surge uma alternativa interessante para o combate ao Coronavírus e outras futuras crises na área da saúde.

Já ouvir falar da telemedicina?

Saiba como a telemedicina está se provando uma importante aliada no enfrentamento da epidemia.

O que é a telemedicina?

A telemedicina se beneficia das ferramentas de comunicação a distância disponíveis no cenário tecnológico atual para possibilitar que médicos ofereçam informação e atendimento remoto.

A prática recebe o aval do Conselho Federal de Medicina (CFM), que regulamenta a questão através da Resolução CFM nº 1.643/2002. Além do CFM, o Ministério da Saúde em publicação recente no Diário Oficial da União regulamentou e operacionalizou o uso da telemedicina no Brasil neste momento de epidemia do Coronavírus.

Se você considera a prática da medicina remota estranha, saiba que a prática é legalizada, útil e pode salvar muitas vidas!

Confira alguns dos benefícios da telemedicina para o combate ao COVID-19 na sequência.

Telemedicina e o Coronavírus

A telemedicina não substitui o contato entre o médico e o paciente.

Porém, em alguns casos, ela alcança uma importância fundamental para a área da saúde:

Teleconsultas

As teleconsultas possuem um papel preventivo e informativo.

Durante o isolamento, diversos pacientes começam a se questionar se estão apresentando os sintomas ocasionados pelo COVID-19, gerando extrema ansiedade devido aos casos de morte que vem sido atribuídos ao COVID – 19.

Neste caso, os médicos podem realizar a consulta e orientar o paciente a proceder corretamente em relação aos seus sintomas.

“Desafogamento” do sistema de saúde

A grande maioria dos infectados no Brasil será trada pelo SUS – Sistema Único de Saúde.

Agora, imagine a seguinte situação: milhares de pessoas visitando as unidades de saúde pública porque acreditam estar apresentando os sintomas do coronavírus, a enorme maioria delas, apenas com sintomas leves e sem necessidade de atendimento hospitalar.

Caso isso venha a ocorrer, será um caos total.

Muitas delas podem se infectar na visita ao hospital, além de incapacitar os profissionais de saúde que estão lidando com casos mais graves.

Com a telemedicina, os pacientes podem orientados em casa e não transmitem o vírus às demais pessoas.

Atendimento a regiões remotas

No Brasil, milhões de pessoas moram em regiões isoladas ou remotas e de difícil acesso.

Mesmo assim, pode ser que elas tenham contraído o vírus no contato com pessoas infectadas ou numa viagem.

Nestes casos, a telemedicina alcança os pacientes que geralmente não recebem nenhum tipo de tratamento convencional

Saiba mais sobre a telemedicina

Se você gosta de textos sobre a telemedicina, visite o site da OnDoctor.

Lá, você encontra artigos interessantes sobre a telemedicina e outros assuntos da área da saúde!

Sobre a OnDoctor

A OnDoctor é uma plataforma de Telemedicina que disponibiliza orientações de saúde por videoconferência. Nossa missão é conectar os melhores profissionais da saúde com pacientes de qualquer lugar do Brasil com segurança e qualidade.