Alimentação e saúde mental: descubra o que comer para ajudar a mente


Em 17 de maio de 2020 • Saúde Mental
Alimentação e saúde mental

O assunto alimentação e saúde mental nunca esteve com tanta evidência nos dias atuais. Com, aproximadamente, 86% da população brasileira sofrendo de algum transtorno mental, é compreensível que a busca por fontes de bem-estar esteja tão em alta.

Seja na procura por terapeutas, psicólogos ou psiquiatras, é possível perceber um grande movimento da sociedade no cuidado com a saúde mental. Nesse sentido, cada vez mais as pessoas – de todas as classes sociais – perceberam como é importante ter uma mente saudável para que o corpo funcione bem.

E nesse ponto, a alimentação e saúde mental têm uma grande relação. Afinal, vários estudos já mostram que os alimentos podem ajudar no controle dos problemas contemporâneos, como o estresse, a ansiedade e a depressão.

Quer saber mais sobre como cuidar da saúde mental por meio dos alimentos? Então, leia o conteúdo especial que preparamos, logo abaixo, e coloque em prática as dicas. Boa leitura!

Atenção: alimento é cuidado, não tratamento

Antes de falarmos da relação entre a alimentação e saúde mental, é importante enfatizarmos que os alimentos citados, bem como seus nutrientes, não devem ser ingeridos como a cura para distúrbios mentais. Nesse ponto, os alimentos atuam como um auxílio para a manutenção do bem-estar. Então, não espere que eles resolvam quaisquer problemas psicológicos.

Dito isso, também é importante reforçar que os fatores de proteção da saúde mental podem variar entre pessoas. Ou seja, alguns alimentos ingeridos podem causar melhores efeitos em um indivíduo, enquanto outros se beneficiam menos dos nutrientes alimentares. Portanto, é importante entender que são muitas variáveis que influenciam nos resultados de uma boa alimentação para auxiliar na saúde mental.

Nutrição e Saúde Mental. Fonte: Canal Sophie Deram.

Alimentação e saúde mental: o que comer para cultivar uma mente mais saudável

Apesar de os alimentos não serem a cura definitiva para problemas mentais, alguns estudos descobriram que eles podem ser aliados importantes no cultivo de uma boa saúde mental. Publicado no jornal Lancet, um estudo mostrou que a ingestão de determinados nutrientes reduz o aparecimento de quadros de depressão, o que é uma boa notícia para quem sofre dessa doença.

uma pesquisa conduzida na Inglaterra mostrou que existe uma forte relação entre a dieta alimentícia e a sensação de bem-estar. Ou seja, as pessoas que se alimentaram melhor, consumindo uma variedade de alimentos saudáveis, demonstraram mais capacidade de controle emocional e controle psicológico – o que resulta em uma qualidade de vida superior e com mais longevidade.

Dessa forma, é importante saber quais nutrientes podem ajudar no equilíbrio da mente, além, é claro, de conhecer onde encontrar essas substâncias que podem ajudar muitas pessoas a conquistar um estilo de vida melhor e com mais felicidade.

Ômega-3

Peixes, como o salmão, atum, cavala e sardinha, além de nozes e sementes, – principalmente a linhaça e chia –, são alimentos ricos em ômega-3 e que podem ajudar bastante na redução de quadros de ansiedade no dia a dia.

Uma das vantagens é que o ômega-3 atua como anti-inflamatório cerebral, o que possibilita uma melhora considerável entre os neurônios e, com isso, a redução da ansiedade que, muitas vezes toma conta do corpo, e pode levar para quadros de síndrome do pânico, por exemplo.

Refeição com salmão grelhado, legumes e verduras
Imagem de cattalin por Pixabay

Vitaminas do complexo B

As vitaminas do complexo B podem ser encontradas em carnes magras, ovos, frutos do mar, vegetais de folhas verdes, legumes e grãos integrais. São várias as possibilidades de utilizar o complexo B como um dos fatores de proteção da saúde mental.

Na prática, o grupo de oito vitaminas do complexo B ajuda na criação de neurotransmissores, que são responsáveis por manter um humor positivo. Portanto, fazer uso intensivo dos alimentos listados nesse grupo é uma boa pedida para combater os transtornos mentais.

Torrada com ovo cozido
Imagem de congerdesign por Pixabay

Selênio

O selênio também é um importante agente na relação da alimentação e saúde mental. Esse antioxidante também possui uma ação anti-inflamatória no cérebro, o que ajuda a preservar a conexão dos neurônios para, assim, fazer com que eles trabalhem da melhor forma possível.

E a boa notícia é que o selênio está presente em alimentos conhecidos no país, como a Castanha-do-Pará, o bacalhau e alguns tipos de nozes. No caso da Castanha-do-Pará, apenas uma castanha por dia é suficiente para providenciar a dose de selênio necessária para o corpo. Então, aproveite essa facilidade!

Porção de castanhas-do-Pará
Imagem de Adriano Gadini por Pixabay

Triptofano

O triptofano é um aminoácido capaz de fornecer as bases necessárias para a sintetização da serotonina: o principal neurotransmissor do cérebro para causar sensações de bem-estar, felicidade, relaxamento e confiança. Por meio dele, é possível conquistar uma mente mais equilibrada e ativa, o que é bom para reduzir os quadros de problemas mentais.

Nesse relacionamento de alimentação e saúde mental, é importante destacar que o triptofano está presente nos principais alimentos consumidos pelos brasileiros. Dentre eles, podemos destacar banana, folhas verde-escuras, ovos, leite, cereais integrais e até na carne de peru – mas não a versão embutida –, que não é muito comum em nosso país, mas é igualmente importante para fornecer o triptofano ao corpo.

Prato de cereais com pedaços de banana picada
Imagem de Steve Buissinne por Pixabay

Leia também: Síndrome de Burnout: o que significa, sintomas e tratamento

Alimentação e saúde mental: aposte nos alimentos para cuidar da mente

Os alimentos citados anteriormente são um excelente auxílio para o combate das doenças mentais que afetam a vida de tantas pessoas no Brasil e ao redor do planeta. Mas eles não as únicas “armas” nesse quesito, já que outras boas práticas ajudam a manter a mente saudável e em condições de suportar a rotina diária.

A prática de exercícios regulares, por exemplo, também ajuda na produção da serotonina – que pode ser potencializada pelo consumo de triptofano – para cultivar a saúde cerebral e, por consequência, o bem-estar da mente. De quebra, as atividades físicas ainda são boas para a saúde corporal e o bom funcionamento do organismo.

Portanto, é essencial rever os hábitos alimentares, combater o sedentarismo e tratar os alimentos como aliados para a conquista de uma excelente qualidade de vida. Com pequenas mudanças no dia a dia, é possível reduzir o estresse, ansiedade, tristeza e, assim, viver os melhores momentos da sua vida de forma plena. Aproveite!

Sobre a OnDoctor

A OnDoctor é uma plataforma de Telemedicina que disponibiliza orientações de saúde por videoconferência. Nossa missão é conectar os melhores profissionais da saúde com pacientes de qualquer lugar do Brasil com segurança e qualidade.